Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Luís Mendes de Morais

Publicado: Quinta, 16 de Mai de 2024, 00h00 | Última atualização em Sexta, 26 de Abril de 2024, 10h30 | Acessos: 133

Nasceu em Itu, província de São Paulo, em 13 de julho de 1850. De família tradicional, era filho de Frederico José de Morais Barros e de Maria Mendes Ferraz. Era sobrinho paterno de Prudente de Morais e Barros, que foi vereador, deputado provincial e deputado geral em sucessivas legislaturas, chefe da junta governativa paulista (1889), presidente do estado de São Paulo (1889-1890), vice-presidente do Senado (1891-1894) e primeiro presidente civil da República (1894-1898). Seu irmão, o general Feliciano Mendes de Morais, foi ministro do Supremo Tribunal Militar (STM), entre os anos de 1919 e 1931. Em 1867, iniciou carreira militar ao assentar praça no Exército. Ingressou na Escola Militar, onde cursou engenharia militar, formando-se ainda bacharel em matemática e ciências físicas. Em sua carreira militar, foi alferes-aluno (1872), segundo-tenente (1871), segundo-tenente (1873), primeiro-tenente (1874), capitão (1876), major (1882), tenente-coronel (1890), coronel (1891), general de brigada (1898), general de divisão (1903) e marechal (1914). Foi professor do curso de cavalaria e infantaria, na província do Rio Grande do Sul, onde integrou a comissão de engenharia e dirigiu os trabalhos de fundação da Vila Militar do Alto Uruguai. Foi presidente do estado de Sergipe (1890-1891), na gestão do presidente marechal Deodoro da Fonseca. Foi chefe da Casa Militar do Presidente da República, na gestão de seu tio, Prudente de Morais; comandou o 4º Distrito Militar, no governo de Rodrigues Alves (1902-1906); comandou o Estado-Maior do Exército e a 1ª Região Militar, na presidência de Afonso Pena (1906-1909). Em 1897, estava no Arsenal de Guerra em solenidade de recepção às forças militares que regressavam da Bahia por ocasião do atentado contra o presidente Prudente de Morais, perpetrado por um soldado combatente em Canudos que foi ferido, e que resultou na morte do ministro da Guerra, Carlos Machado de Bittencourt. Foi nomeado, interinamente, ministro da Guerra, em substituição a Hermes da Fonseca, na presidência de Afonso Pena (1909), que falecera durante o governo, assumindo o vice-presidente eleito Nilo Peçanha. Em 1909, foi nomeado ministro do Supremo Tribunal Militar, permanecendo no cargo até 1914. Recebeu medalha de ouro do mérito militar. Faleceu no Rio de Janeiro, em 20 de junho desse ano.

 

Daniela Hoffbauer
Jan. 2024 

 

Bibliografia

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 8. ed. São Paulo: Edusp, 2000.

MINISTÉRIO DA DEFESA. Biografia dos Antigos Comandantes. General de Divisão Luiz Mendes de Moraes. Disponível em: https://shre.ink/r1CE.  Acesso em: 16 jan. 2024. 

MORAIS, Luís Mendes de. In: ABREU, Alzira Alves de (coord.). Dicionário histórico-biográfico da Primeira República 1889-1930. Rio de Janeiro: Editora FGV. Disponível em: https://acesse.dev/KR4zv . Acesso em: 16 jan. 2024. 

PONDÉ, Francisco de Paula e Azevedo. Organização e administração do Ministério do Exército. Brasília: Enap; Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1994. (História Administrativa do Brasil, v. 37).

SUPREMO TRIBUNAL MILITAR. Biografia dos ministros. Luiz Mendes de Morais. Disponível em: https://shre.ink/r1vs. Acesso em: 12 mar. 2024.

                                                                                                                                

Fim do conteúdo da página